31
maio

Dicas para apostar em uma cozinha colorida

Foto Evelyn Muller

Um dos ambientes mais deliciosos da casa, a cozinha passou por muitas transformações ao longo dos anos. Se, por muito tempo, ela foi marcada pela predominância dos tons neutros, atualmente as cores ocuparam seu espaço nos projetos, combinando com os demais cômodos da casa.

“Por ser um local onde serão preparadas as refeições no dia a dia, ela deve refletir o estilo e a personalidade dos moradores, além de dialogar com a residência como um todo”, afirma a experiente arquiteta Marina Carvalho, à frente do escritório que leva o seu nome.
Sendo assim, para apostar em uma decoração colorida nas cozinhas, harmonia é a palavra que rege. O primeiro passo é eleger a cor principal para, na sequência, pensar em outros tons e combinações. Nesses casos, o branco, o preto ou o cinza são boas sugestões para criar um fundo perfeito.

Nesse projeto assinado pela arquiteta Marina Carvalho, o revestimento verde foi o destaque em uma cozinha com elementos neutros | Foto: Evelyn Müller

O tom escolhido pode ser aplicado em diversos pontos: gavetas, armários, mesas, pia, cadeiras, azulejos, pastilhas e pendentes, entre outros componentes. Para os moradores mais discretos, dá até para brincar com matizes nos utensílios domésticos e objetos de decoração, que são fáceis de trocar. 

“Não existem regras para ousar na cozinha. O que precisa ser priorizado é o bom senso na execução”, aconselha a profissional.

Confira mais dicas de Marina Carvalho para não errar no projeto da cozinha colorida:

1) Cores na marcenaria: 

Nessa cozinha assinada pela arquiteta Marina Carvalho, o casal de moradores desejava um ambiente colorido. Assim, os armários em tom de goiaba propiciaram uma composição terrosa com o tijolinho presente nas paredes, incluindo o frontão da pia. Como não tinham medo de brincar com as cores, a arquiteta adicionou o verde, o rosa nas cadeiras e até um bronze metálico no lustre | Foto: Evelyn Müller

Ao estabelecer uma base neutra nas paredes e no piso, é possível ousar nos demais elementos. Dessa forma, a marcenaria poderá receber as cores, sejam elas discretas ou vibrantes, sempre respeitando o estilo de decoração do projeto e reforçando o equilíbrio para evitar o exagero de informação no mesmo ambiente.

“Em decorações mais clássicas, por exemplo, recomendo escolher um volume e pintá-lo com uma cor mais sóbria. Verde ou azul escuro são boas alternativas nesse caso”, conta Marina Carvalho. Investir em uma paleta mais clara também funciona em locais com uma proposta delicada.

Em um projeto muito sutil, Marina Carvalho optou por uma combinação de verde claro na marcenaria, madeira no piso e branco nas paredes. O revestimento com textura hexagonal ajudou a dar mais movimento | Foto: Evelyn Müller

2) Combinação de mais tons na marcenaria: 

Entretanto, e se o morador quiser colocar mais de uma cor na marcenaria, quais seriam os cuidados? Nesse caso, o melhor é ter atenção para que, ao eleger um tom específico como base, o restante não fuja dessa paleta. Para evitar erros, a sugestão é sempre testar as combinações antes de aplicá-las. 
“No mais, a melhor orientação é contratar um bom profissional e que, de preferência, tenha experiência em trabalhar com projetos coloridos”, recomenda a arquiteta.

Como a moradora tinha uma personalidade extrovertida, a cozinha ganhou três tons de laminados azuis na marcenaria. Os itens decorativos em amarelo e vermelho podem ser modificados, caso ela deseje no futuro | Projeto: Marina Carvalho | Foto: Marcelo Cotrim
Foto Marcelo Cotrim
Ao perceber o estilo despojado e alegre dos clientes, a arquiteta resolveu ousar nas cores do projeto. Amarelo e azul marcam presença ao lado da madeira. O piso, por sua vez, é neutro para não haver excesso

3) Cores nas paredes: 

Se a decisão for por empregar cores nas paredes, por meio de tintas, azulejos e pastilhas, o segredo é o mesmo da marcenaria: um tom neutro como base oferece um passe livre para ousar nos demais elementos. 

“É essencial reforçar que, se a cozinha for muito pequena, será preciso uma atenção redobrada para evitar exageros. Afinal, menos é mais”, afirma a profissional.

Nesse projeto, as paredes foram revestidas com uma cerâmica verde clara muito sutil. Além disso, a marcenaria clássica com moldura também chama atenção. Por isso, a arquiteta preferiu instalar um piso totalmente liso e branco | Foto: Marcelo Cotrim
Aqui, as paredes receberam pastilhas em azul mais escuro, suavizadas pelo branco da marcenaria e do piso | Projeto: Marina Carvalho | Foto: Marcelo Cotrim

4) Cores nos utensílios e objetos: 

Para quem pretende investir em uma cozinha colorida, mas ainda está inseguro, os utensílios e objetos são ótimas soluções. Assim, será mais simples trocá-los no futuro, caso o morador canse ou altere a paleta do ambiente. 
“O primordial é seguir seus gostos, não deixando de lado a composição com os outros ambientes”, finaliza.

Utensílios vermelhos, incluindo os eletrodomésticos, fizeram uma bonita composição com as paredes em preto, cinza e branco |Projeto: Marina Carvalho | Foto: Evelyn Müller

Projeto: Marina Carvalho
www.marinacarvalho.com  
(11) 4324-4555
@marina.carvalho.arquiteta

Divulgação: DC33 Comunicação
Bianca Benfatti, Glaucia Ferreira, Danilo Costa
(11)98125-7319
www.dc33.com.br

Quem escreve:

Newsletter

Assine para receber novidades do blog!

banner_875x90

Posts relacionados

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.