08
março

Bancada colorida para um ar vibrante nas cozinhas e banheiros

O amarelo tomou conta da bancada e da prateleira desta cozinha, criando um contraste com a base neutra | Projeto: Liv’n Arquitetura | Foto: Guilherme Pucci

Bom dia, queridos!

O blog estava com problemas técnicos desde novembro, por isso meu sumiço.
Quem me segue desde o início sabe que trabalho sozinha e foi bem difícil conseguir uma ajuda eficiente. Consegui, estamos finalizando a manutenção e, finalmente, testando um post!
Segunda-feira costumo mostrar cozinhas ou banheiros por aqui, então vamos ver hoje dicas da arquiteta Júlia Guadix bancadas coloridas, para nosso reencontro!
Estava com saudades!

Cada vez mais as cores vêm ganhando espaço na decoração de diversos ambientes residenciais. Nesse sentido, as bancadas de banheiros, lavabos, áreas gourmet e cozinhas, aos poucos, deixam os tons neutros de lado e mergulham nas tendências coloridas. Seja para contrastar com uma base neutra ou para compor um conjunto mais ousado, essa solução tem o poder de transformar os espaços.

“Para usar cor nas bancadas, precisamos fazer uma escolha entre ser pontual, com os demais elementos neutros (branco, preto, cinza, madeira); ousar fazendo uma decoração monocromática ou realizar uma combinação de tons usando o círculo cromático”, explica a arquiteta JúliaGuadix, à frente do escritório Liv’n Arquitetura.

O mais importante, acima de tudo, é que a decisão respeite a personalidade dos moradores e o estilo de decoração do local.

Para te ajudar a colorir sua bancada, confira algumas dicas essenciais.

1) Materiais:  Caso a intenção seja aplicar cores vibrantes nas bancadas, fugindo dos tons neutros tradicionais, é importante escolher um material durável e resistente. Além disso, observar em qual região será aplicado também ajuda na seleção. 

“Costumo usar mdf com folha de fórmica e quartzo nos projetos. Ambos oferecem variedade de tons e qualidade”, conta a arquiteta Júlia Guadix.

Nesta cozinha, a bancada em quartzo laranja se tornou o destaque em meio aos tons neutros. A peça era o sonho da cliente | Projeto: Liv’n Arquitetura | Foto: Guilherme Pucci

A principal diferença entre os dois elementos é o investimento. O quartzo, por exemplo, é uma pedra com maior custo e resistência. Já o MDF é mais acessível, porém exige cuidados em relação ao local de instalação.

2) Principais cuidados:

Para que a tonalidade permaneça vibrante por mais tempo, os moradores devem manter algumas precauções. 

“Os principais cuidados serão inerentes ao material escolhido. Por isso, recomendo fazer um estudo completo antes de tudo para evitar dores de cabeça no futuro”, aconselha Júlia Guadix.

A arquiteta Júlia Guadix optou por usar MDF com folha de fórmica amarela dessa cozinha. Por ser uma área de bancada sem pia, ela não corre o risco de ficar úmida | Projeto: Liv’n Arquitetura | Foto: Guilherme Pucci

O quartzo não pode pegar sol direto, isso causará seu desbotamento. O ideal é instalá-lo longe de janelas com entrada constante de luz. Além disso, produtos abrasivos também desgastam a bancada. Não é recomendado aplicar MDF revestido com folha de fórmica na área molhada do banheiro, lavabo, varanda ou cozinha. Por se tratar de uma placa de fibra de madeira, ele não deve ficar úmido.

3) Combinação de cores no mesmo ambiente: 

A composição do ambiente com uma bancada colorida irá depender da proposta de decoração. Com o objetivo de ousar, o resultado pode ser monocromático, com elementos que diferem nos graus de tonalidade ou utilizando o círculo cromático. Esse recurso permite combinar cores vizinhas, como o amarelo e o laranja, ou cores opostas, como amarelo e roxo.

Nesse lavabo, a bancada em quartzo amarelo compõe com o cinza das paredes e do piso. A combinação destaca as cores de 2021 escolhidas pela Pantone. “Por ser um local de pouca permanência, o lavabo é perfeito para usar e abusar dos tons vibrantes, sem medo de errar”, diz Júlia | Projeto: Liv’n Arquitetura | Foto: Guilherme Pucci

“Em decorações mais leves, opto por contrastar a bancada com elementos neutros. Dá para usar piso de madeira, porcelanato imitando cimento queimado, pintar as paredes ou revestir com azulejos em cinza, branco e até mesmo preto”, afirma a arquiteta.
Nesse caso, o item será enaltecido pelos demais componentes do espaço.

Fotografia: Guilherme Pucci

Arquiteta Júlia Guadix – Liv´n Arquitetura
Av. Dr. Cardoso de Melo, 291, São Paulo – SP
(11) 94537 – 0101
www.livn.arq.br
Instagram: @livn.arq

Divulgação:
dc33 Comunicação
Bianca Benfatti, Glaucia Ferreira, Danilo Costa
(11) 3129-4382  
www.dc33.com.br
@dc33comunicacao

Quem escreve:

Newsletter

Assine para receber novidades do blog!

banner_875x90

Posts relacionados

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

2 Comentários

  • Julia
    08 março, 2021

    Amei o post!! Obrigada pelas dicas e inspirações! ✨

    • Malu
      22 abril, 2021

      Obrigada, amada! Desculpa a demora na resposta!!!! Beijo!