14
junho

Studio Tan Gram conta como escolher a melhor combinação de almofadas

Projeto: Studio Tan-Gram | Foto Estúdio São Paulo

As almofadas são versáteis, charmosas e perfeitas para proporcionar um ar acolhedor aos ambientes, trazendo múltiplas opções de decoração e garantindo mais personalidade, elas são a “cereja do bolo” nos ambientes. Seja na sala de estar, no home theater, na varanda ou no dormitório, é possível ousar nas cores, texturas, estampas, tamanhos e formas sem grandes medos.
Entusiastas do uso das peças em seus projetos, as arquitetas Claudia Yamada e Monike Lafuente, a frente do escritório Studio Tan-Gram, acrescentam que os itens são um dos mais flexíveis na arquitetura de interiores por permitirem a troca das capas com mais facilidade e menor custo. 

“Caso o morador enjoe das almofadas é possível trocá-las até mesmo de ambiente. Movê-las da sala para o quarto, por exemplo, pode trazer o ar de novidade que as pessoas buscam”, diz Claudia. Além disso, as peças ainda propiciam aconchego e são uma ótima pedida para fazer dupla com as mantas em dias mais gelados. 

Combinações

Nesse projeto assinado pelo Studio Tan-Gram, o verde presente nas plantinhas da sala de estar e jantar dão o match perfeito com os tons de verde esmeralda e cobre das almofadas eleitas para compor o sofá em tom neutro. Para complementar a composição, a peça com estampa quadriculada está em harmonia com o tapete e sofá. Tudo se conecta! | Fotos: Estúdio São Paulo

As almofadas permitem vários tipos de mesclas. Todavia, para não errar, Monike sugere brincar com as cores, tendo como referência o círculo cromático: ou seja, aplicar tonalidades complementares ou análogas.

“Uma outra opção é escolher várias nuances dentro da mesma família de cores, o famoso tom sobre tom. Para não ficar monótono, é interessante alternar a textura da peça”, esclarece. 

No quarto de criança, as arquitetas criaram um cantinho super gostoso e confortável para leituras e brincadeiras. As almofadas em cima do futon seguem uma paleta com escalas de cinza e rosa, já empregadas em outros pontos do dormitório, explorando diversas texturas, como veludo, crochê e listras. Ficou um charme! | Foto: Nathalie Artaxo
 

A profissional também discorre sobre a coerência de não investir no excesso de cores fortes e vibrantes, para não pesar na decoração do cômodo.

“Se a ideia é trabalhar com um ambiente predominantemente colorido, o caminho é investir na mistura de texturas, buscando um meio de intercalar tons mais neutros. No contraponto, quando a decoração tem por premissa a base neutra, o sentido é oposto e podemos ousar muito mais!”, revela Monike.

Estilos

Neste dormitório com pegada moderna, as arquitetas apostaram na jovialidade do couro com a naturalidade do crochê e suavidade do veludo para exaltar uma decoração ainda mais autêntica. | Foto: Nathalie Artaxo

Os estilos variam e devem ser mesclados para traduzir a personalidade única que cada morador tem. Para os mais românticos, as paletas com tons suaves, como o pastel com toques de rosa são ótimas pedidas. Estampas delicadas, florais e poás também auxiliam no mix do estilo.

Constituições com cores mais sóbrias e neutras, como o preto, branco e cinza são as preferidas daqueles que preferem trilhar a sofisticação do clássico. Nos tecidos, as especialistas indicam a aplicação de materiais nobres como a seda e o linho.

Para agradar os entusiastas do estilo moderno, engana-se quem pensa que é preciso adquirir peças com ares futuristas. Pelo contrário, as principais características evocam a simplicidade e praticidade. 

“Sugiro definições que nos conduzem para o clean, mas sem esquecer do toque de cor. Com uma atmosfera atemporal, podemos trabalhar com a mistura de estampas com cores lisas”, especifica Claudia. 

Tamanhos

Os diferentes tamanhos contribuem para a alegria deste quarto. As almofadas grandes na cor nude servem como base para as menores retangulares em tom mostarda e marsala. O grande pufe azul desempenha o papel de ponto de descanso e leitura. | Foto:  Estúdio São Paulo

Quando se trata de tamanho, é fundamental que haja sempre uma preocupação com as questões de proporção. 

“Almofadas pequenas em sofás ou camas muito grandes, assim como peças grandes em móveis pequenos, ficam estranhas e não harmônicas”, alerta Claudia. O mais tradicional são as almofadas quadradas com dimensões 45cm x 45cm, mas como são fáceis de personalizar, de acordo com a demanda do projeto, é possível encontrar também peças de 30cm x 30cm ou 60cm x 60 cm.

Para as retangulares, as versões mais procuradas variam de 25cm x 45cm, 40cm x 50cm ou 30cm x 50cm – o segredo é que tenha de 10cm a 20cm de diferença entre altura e comprimento. 

Outros cantinhos

Na varanda, os bancos com base em madeira, na ponta e lateral da mesa, cooperam na missão de otimizar o espaço e acomodar mais pessoas nos dias de celebração em família e amigos – em tempos não pandêmicos, é claro! O charme e bem-estar ficam todo por conta das almofadas em diversos tamanhos e do assento em futon super fofinho. | Fotos:  Estúdio São Paulo

Além de decorar quartos e salas, as almofadas também podem tornar ainda mais gostosa a vivência em ambientes externos como varandas, terraços e jardins. Nestes casos, a principal dica é dar preferência por capas com tecidos mais resistentes e fáceis de lavar. 

“Além da comodidade, os futons e almofadas são ótimos elementos para levar um pouco de cor e descontração e ainda há a possibilidade de ir trocando as capas de tempos em tempos, para dar uma boa renovada na decoração” finaliza Monike.

Studio Tan-Gram
www.studiotangram.com.br
@studio.tangram
F. (11)5571.3304

Divulgação:
Dc33 Comunicação
Heloisa Vieira, Glaucia Ferreira, Danilo Costa
www.dc33.com.br
(11) 98125.7319

Quem escreve:

Newsletter

Assine para receber novidades do blog!

banner_875x90

Posts relacionados

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.